Pioneiros na Farmácia Online em Portugal

Consigo desde 2012

CELULITE – PREVENIR E CUIDAR

O estigma da celulite

Quantas nádegas teremos mais que ver na televisão, outdoors, cartazes, cartonagem de cremes, panfletos e demais meios de divulgação a publicitar milagres contra a celulite?

Certamente que os leitores neste momento já estão a visualizar a clássica imagem de um rabinho jeitoso. Adornado por uma tanga modesta, uma perninha ligeiramente inclinada, o que imprime um ar natural à posição e realça os tonificados glúteos. E, claro, revestidos de uma pele lisa e morena, sem qualquer sinal de imperfeição. Está mesmo a ver, não está?

A celulite é provavelmente um dos distúrbios físicos mais explorados comercialmente. A mensagem é sempre a mesma: para obter este semblante, é só passar o creme e já está! Mas claro que não é. Para debelar a celulite há que a conhecer um pouco melhor e fazer um bocadinho mais de esforço para além da aplicação do cosmético.

O que é a celulite?

A celulite caracteriza-se por uma alteração do tecido adiposo, que compõe grande parte da hipoderme – camada mais profunda da pele.

Este tecido é essencialmente constituído por adipócitos, células responsáveis por armazenar gordura e isolar o corpo do frio.
O fenómeno da celulite acontece quando este tecido apresenta maior capacidade de lipogénese – captação/armazenamento de gordura – do que de lipólise – capacidade para a libertar/consumir.
Mas as razões para isto acontecer não estão ainda totalmente conhecidas.

Porque temos celulite?

É um processo cuja fisiopatologia não está bem definida. Ou seja, na prática, nenhum clínico descreve bem que fatores é que estão envolvidos no processo, e, dos que estão, quais são os mais preponderantes.

Sabe-se, no entanto, que fatores hormonais, genéticos, alimentares, circulatórios e até mesmo de postura podem ser significativos e portanto são esses fatores que se tentam controlar quando se trata de tratar ou prevenir esta condição.
Ao contrário do que é vulgarmente assumido, a celulite não está só associada ao excesso de peso nem só ao sexo feminino. Pessoas magras também podem sofrer deste distúrbio, assim como os homens.

Celulite nas mulheres

Nas mulheres, a celulite é considerada um caractere sexual secundário quando é pouco marcada, não sendo encarada como uma patologia. Observa-se mais facilmente nas mulheres porque naturalmente possuem mais adipócitos. Localizam-se especialmente no ventre, glúteos e coxas. Estas células de gordura apresentam-se separadas por septos perpendiculares à superfície da pele, que penetram até à derme.
É esta arquitetura do tecido adiposo feminino a responsável pelo aparecimento do aspeto “pele casca de laranja”.

Celulite nos homens

No entanto, este efeito na pele não acontece nos homens. O seu tecido adiposo apresenta menos adipócitos e, além disso, estão ordenados em tabiques oblíquos à superfície da pele. Este ordenamento masculino das células gordas não origina os clássicos sulcos cutâneos que caracterizam o aparecimento da celulite. Porém, não significa que os homens não a possam igualmente desenvolver. Só que apenas é visível em casos muito graves de distúrbio hormonal.

As fases de desenvolvimento

Por convenção, considera-se que a celulite se desenvolve em várias etapas. Os períodos podem ir de alguns meses a vários anos, sendo que, na prática, nem sempre se consegue definir tão bem os limites de cada fase.

Fase I – Sem manifestações clínicas. Verifica-se somente uma diminuição da circulação venosa e linfática, o que resulta numa acumulação de líquidos nos adipócitos.

Fase II – Aparecimento da pele “casca de laranja”, em resultado da acumulação de edema, por diminuição quase total do fluxo sanguíneo. Existe já alguma deterioração do tecido dérmico e hipodérmico. No entanto, o comprometimento ainda é somente estético.

Fase III – Começam a formar-se depósitos de colagénio reticulado entre os aglomerados de adipócitos. Isto provoca esclerose de algumas zonas da hipoderme. Os problemas circulatórios agravam-se ainda mais e estamos perante a fase de início de uma patologia.

Fase IV – Os depósitos de colagénio transformam-se em nódulos duros. Estes comprimem os vasos sanguíneos e as fibras nervosas, dando origem a uma dor permanente. A celulite, neste caso, já é considerada uma patologia.

Tratamento e Prevenção

Como já foi aqui abordado, os fatores que desencadeiam o aparecimento da celulite podem ser diversos e nem sempre estão bem definidos. No entanto, existe consenso entre os especialistas quanto ao principal objetivo que se deseja atingir quando queremos combater a celulite: Ativar a Lipólise.
Ou seja, potenciar a degradação da gordura acumulada no tecido adiposo e diminuir a lipogénese.

Prevenir

A melhor forma de o fazer é praticando exercício físico aeróbico, como caminhada, corrida e/ou bicicleta. Isto vai obrigar o corpo a desmobilizar a gordura dos adipócitos para a queimar no tecido muscular.

Ao mesmo tempo, este aumento de exercício físico potencia a irrigação sanguínea nas zonas de gordura. Assim, permite também eliminar líquidos e toxinas que aí se encontram acumuladas por falta de drenagem.

Celulite - Prevenir e Tratar
Andar de bicicleta, correr ou caminhar são excelentes exercícios no combate à celulite.

Tratar a Celulite

 

Medicamentos

 

Os tratamentos farmacológicos também existem, mas hoje em dia são bastante desaconselhados tendo em conta os efeitos secundários que podem advir da sua utilização.

 

Medicamentos tais como anfetaminas, hormonas da tiróide, diuréticos e enzimas, entre outros, já foram amplamente utilizados para forçar o organismo a consumir a gordura acumulada, mas não são recomendados ou recomendáveis.

 

Quando é necessária a sua indicação, esta deverá acontecer sempre sob vigilância médica e nunca sem a mesma, pois existe o risco de provocar alterações metabólicas que pode, em alguns casos, ser fatal.

 

Cosméticos tópicos

 

A aplicação de produtos cosméticos pode potenciar um claro melhoramento do aspeto da pele, suavizando, refirmando e alisando a mesma

 

Se estes produtos apresentarem boa qualidade em termos de ingredientes e a sua aplicação acontecer de forma sistemática, pode apresentar resultados bastante positivos nos casos de celulite leve a moderada.

 

Ingredientes importantes neste tipo de cosméticos são:

 

  • Cafeína (cerca de 4%): forte poder lipolítico
  • DHAO ou esfingosídeos: diminuem a entrada de glucose para os adipócitos
  • Rutosídeos: antagonistas da glicose
  • Protamina: inibe a lípase, proteína importante na lipogénese
  • Centelha asiatica, Retinol e Erva cavalhinha: refirmantes.

Suplementos alimentares

 

O uso de suplementos alimentares é permitido e é amplamente publicitado. No entanto, a sua eficácia é um pouco limitada. Por norma são usadas plantas que apresentam propriedades diuréticas e lipolíticas:

 

  • Alcachofra
  • Bambu
  • Laranja amarga
  • Boldo
  • Cardo Mariano
  • Garcinia Cambogia
  • Erva cavalinha
  • Matricaria
  • Ortosifão, entre outras.

Tratamentos Corporais

 

Os tratamentos localizados tais como as massagens, drenagens linfáticas entre outras, têm uma ação mecânica. Potenciam a mobilização das gorduras acumuladas e o aumento da circulação venosa e linfática nas zonas mais afetadas.

 

Podem ser também uma opção válida para diminuir o aspeto casca de laranja da sua pele e preparar o seu corpo para o verão.

 

A sua auto-estima é importante mas é igualmente importante escolher uma forma racional de combater a celulite, essencialmente cuidando da alimentação e fazendo exercício físico.

 

Os corpos Photoshop que aparecem na publicidade não são reais, querem criar uma necessidade excessiva de perfeição induzindo o consumo.

 

Na verdade, quem precisa efetivamente deles quando temos os nossos, bonitos e naturais?

Artigo da autoria de:

Sónia Rocha
Diretora Técnica Farmácia Rodrigues Rocha
Bióloga, Farmacêutica e Mestre em Dermofarmácia e Cosmética
In Diário de Aveiro – Página da Ciência, Março 2017

Mais artigos do nosso Blog:

0
Add to cart