O Ovo, o Ex-Vilão da Dieta | Farmácia Rodrigues Rocha

O ovo é um alimento versátil, de fácil preparação e digestão, não sendo por isso difícil incorporá-lo no dia a dia alimentar.

A 13 de Outubro assinala-se o Dia Mundial do Ovo - Alimento versátil, de fácil preparação e digestão, não sendo por isso difícil incorporá-lo no dia a dia alimentar.

 
Características

- É um alimento completo e pouco calórico (83 kcal, por unidade de tamanho médio).
- As suas proteínas são completas e de elevado valor biológico, isto é, contém todos os aminoácidos essenciais, e na proporção correta. 
- Excelente fonte de vitaminas do complexo B (B12, B6, ácido fólico e B2), e em minerais (ferro e selénio). 

Os nutrientes não se encontram distribuídos de forma uniforme no ovo

- A clara é constituída principalmente, por água e proteínas (albumina), e é praticamente isenta de lípidos. 
- A gema é rica em proteína, lípidos (colesterol), vitaminas (A,D e E) e minerais (fósforo e o selénio). 

Outros factos importantes sobre o ovo

- São ricos em luteína, zeaxantina (carotenóides que protegem a saúde ocular) e em colina (fundamental na saúde cerebral). - Para algumas pessoas, o ovo pode ser um alimento com potencial alergénico pela existência das proteínas ovomucoide e ovomacroglobulina na clara do ovo. A maioria das reacções alérgicas associadas com o ovo manifestam-se na pele, e são principalmente mediadas pela IgE. 
- Consumir 2 ovos é equivalente a consumir 100g de carne ou 120g de peixe. 
- Segundo o British Medical Journal, os ovos devem fazer parte da nossa alimentação diária e não influenciam negativamente a nossa saúde quando consumidos moderadamente.


Ovos e colesterol

- Um ovo grande fornece cerca de 186mg de colesterol. 
- Pelo seu teor elevado de colesterol, o ovo era considerado nocivo para a saúde, visto que níveis elevados de colesterol no sangue estão intimamente ligados ao desenvolvimento de patologias do foro cardiovascular. No entanto, o impacto que o colesterol que ingerimos através da alimentação tem nos níveis de colesterol sanguíneo varia de pessoa para pessoa. 
Embora comer muitos ovos possa aumentar o colesterol, não está comprovado cientificamente que ingerir até quatro gemas de ovo por semana aumente o risco de doença cardiovascular.


Envolto em grande controvérsia até há uns anos, hoje em dia o ovo já não é considerado um vilão.